"I watch the time pass slowly. It comes and goes like the waves. The sea can touch the sky at night. It's got the freedom I crave."

A verdadeira história de Papai Noel – São Nicolau

Quem é São Nicolas?

A verdadeira história de Papai Noel começa com São Nicolau, que nasceu durante o século III na vila de Patras. Na época pertencia a Grécia, agora é a costa sul da Turquia. Seus pais ricos o educou para ser um cristão devoto e morreram em uma epidemia com Nicolau ainda jovem. Obedecendo as palavras de Jesus “vendes o que tens e dês sua riqueza aos pobres”, Nicolau usou toda sua herança pra ajudar os necessitados, doentes e sofredores. Dedicou sua vida servindo a Deus se tornando bispo de Myra, ainda jovem. Bispo Nicolau ficou conhecido em todo o país por sua generosidade aos necessitados, seu amor pelas crianças, e sua preocupação para com marinheiros e navios.

Sob o imperador romano Diocleciano, que implacavelmente perseguia os cristãos, o bispo Nicolau sofreu pela fé, foi exilado e preso. As prisões eram tão cheias de bispos, sacerdotes e diáconos que não havia espaço para os verdadeiros criminosos – assassinos, ladrões e assaltantes. Após sua libertação, Nicolau participou do Concílio de Nicéia, em 325 dC. Faleceu em 6 de dezembro em Myra no ano de 343 dC e foi sepultado em sua catedral, onde uma relíquia única, chamada maná, se formou em sua sepultura. Esta substância líquida, que diziam ter poderes curativos, impulsionou o crescimento da
devoção a São Nicolau. O aniversário de sua morte tornou-se um dia de festa, dia de São Nicolau em 6 de dezembro.

Através dos séculos, muitas histórias e lendas foram contadas sobre a vida e realizações de São Nicolau. Estes relatos nos ajudam a entender o seu caráter extraordinário e porque ele é tão amado e venerado como protetor e ajudante daqueles que precisam.

Existe a história de um homem pobre com suas três filhas. Naqueles dias, o pai de uma jovem tinha que oferecer aos futuros maridos algo de valor, um dote. Quanto maior fosse o dote, maior a chance de uma jovem pra encontrar um bom marido. Sem um dote, a mulher não se casava. As filhas desse homem pobre, sem dote, eram portanto, destinadas a serem vendidas como escravas. Misteriosamente, em três ocasiões diferentes, um saco de ouro apareceu em sua casa, fornecendo os dotes necessários. Dizem que os sacos de ouro, lançados por uma janela aberta, caíram dentro de meias ou sapatos deixados ao lado do fogo para secar. Assim surgiu o costume das crianças de pendurarem meias ou sapatos, esperando ansiosamente
presentes de São Nicolau. Também já se ouviu dizer que eram bolas de ouro em vez de sacos de ouro. É por isso que, às vezes, três bolas de ouro representadas por laranjas, são um dos símbolos de São Nicolau. E assim São Nicolau é um oador de presentes.

Uma das mais antigas histórias que mostra São Nicolau como um protetor das crianças é contada muito tempo depois de sua morte. As pessoas da cidade de Myra estavam celebrando seu dia na véspera da festa, quando um bando de piratas árabes de Creta apareceram no distrito. Eles roubaram tesouros da Igreja de São Nicolau para conseguir recompensa. Quando estavam saindo da cidade, arrebataram um menino, Basilios, para transformá-lo em escravo. O emir, ou governante, selecionou Basilios para ser seu copeiro pessoal, e não conhecendo a língua, Basilios não entendeu o que o rei disse aos que estavam a sua volta. Então, até o próximo ano, Basilios atendia ao rei, levando seu vinho em uma bela taça de ouro. Para
os pais de Basilios, devastados pela perda de seu único filho, o ano se passou lentamente, cheio de tristeza. Como o dia seguinte da festa de São Nicolau se aproximou, a mãe de Basilios não participou da festa, porque pra ela era lembrado como um dia de tragédia. No entanto, ela foi persuadida simplesmente a observar de casa, orando em silêncio pela vida de Basilios. Entretanto, como Basilios estava cumprindo sua missão de servir ao emir, ele de repente foi levado. São Nicolau apareceu ao menino apavorado, abençoou-o, e o levou de volta a sua casa em Myra. Imagine a alegria e admiração quando Basilios surpreendentemente apareceu diante de seus pais, ainda segurando o copo de ouro do rei. Esta é a primeira história de São Nicolau contada sobre proteção as crianças, que se tornou seu principal papel no Ocidente.

Outra história conta que três estudantes de teologia viajavam para estudar em Atenas. Um homem mal, dono de pousada, os roubou e assassinou-os, escondendo seus restos em uma cova enorme. O bispo, que viajava na mesma rota, parou nesta pousada. Naquela noite ele sonhou com o crime, levantou-se e chamou o dono da pousada. Como São Nicolau orou fervorosamente a Deus, os três rapazes foram restaurados à vida e à integridade. Na França, a história é contada sobre três crianças pequenas, que se perderam brincando, e foram atraídas e capturadas por um açougueiro mal. São Nicolau apareceu e apelou a Deus para devolvê-las à vida e às suas famílias. E assim, São Nicolau é o patrono e protetor das crianças.

Diversas histórias falam sobre São Nicolau e o mar. Quando era jovem, Nicolau em sua santidade, fazia uma peregrinação à Terra Santa. Ele andou por onde Jesus andou, procurando a mais profunda experiência de vida de Jesus, paixão e ressurreição. Voltando pelo mar, uma forte tempestade ameaçava destruir o navio. Nicholas calmamente orava. Os marinheiros estavam aterrorizados e se espantaram quando o vento e as ondas de repente se acalmaram, poupando-os. E assim, São Nicolau é o padroeiro dos marinheiros e viajantes.

Outras histórias falam de São Nicolau salvando seu povo de fome, poupando as vidas dos inocentemente acusados, e muito mais. Ele fez muitos tipos de atos generosos em segredo, sem esperar nada em troca. Em um século de sua morte, foi canonizado santo. Hoje ele é venerado no Oriente pelos milagres e no Ocidente como patrono de muitas pessoas, como crianças, marinheiros, banqueiros, corretores, estudiosos, órfãos, trabalhadores, turistas, comerciantes, juízes, indigentes, moças que querem se casar, estudantes, crianças, marinheiros, vítimas de erros judiciais, cativos, perfumistas, até mesmo ladrões e assassinos! Ele é conhecido como amigo e protetor de todos que estão em apuros ou necessidade.

Marinheiros, alegando São Nicolau como patrono, carregam histórias a seu favor e proteção em toda parte. Capelas de São Nicolau foram construídas em muitos portos. Como sua popularidade se estendeu durante a Idade Média, ele se tornou o santo padroeiro de Apúlia (Itália), Sicília, Grécia e Lorraine (França), e muitas cidades na Alemanha, Áustria, Suíça, Itália, Rússia, Bélgica e Países Baixos. Depois de seu batismo, em Constantinopla, Vladimir I da Rússia levou histórias de devoção de São Nicolau à sua terra natal, onde Nicolau tornou-se o santo mais querido. São Nicolau foi tão reverenciado que mais de 2.000 igrejas foram nomeadas por ele, inclusive 300 na Bélgica, 34 em Roma, 23 na Holanda e mais de 400 na Inglaterra.

O sepulcro de São Nicolau em Myra tornou-se um popular local de peregrinação. Por causa das muitas guerras e ataques na região, alguns cristãos estavam preocupados que o acesso ao túmulo poderia se tornar difícil. Para ambos os religiosos e as vantagens comerciais de um local importante de peregrinação, as cidades italianas de Veneza e Bari competiam para obter as relíquias de São Nicolau. Na primavera de 1087, marinheiros de Bari conseguiram levá-las para Bari, um porto na costa sudeste da Itália. Uma imponente igreja foi construída sobre a crípta de São Nicolau e muitos fiéis viajaram para homenagear o
santo que havia resgatado as crianças, prisioneiros, marinheiros, vítimas da fome, e muitos outros através de sua compaixão, generosidade, e os inúmeros milagres atribuídos à sua intercessão. O santuário de São Nicolau de Bari foi um dos grandes centros de peregrinação da Europa medieval e São Nicolau ficou conhecido como “Santo em Bari.” Neste dia, peregrinos e turistas visitam Bari na grande Basílica de São Nicolau.

Através dos séculos, São Nicolau continuou a ser venerado pelos católicos e ortodoxos e honrada pelos protestantes. Por seu exemplo de generosidade para com os necessitados, especialmente crianças, São Nicolau continua a ser um modelo de vida de compaixão.

Amplamente celebrado na Europa, dia da festa de São Nicolau, 6 de dezembro, se manteve viva as histórias da sua bondade e generosidade. Na Alemanha e na Polônia, os meninos vestidos como bispos pedia esmola pelos pobres e, às vezes, à eles mesmos! Na Holanda e na Bélgica, São Nicolau chegou em um navio a vapor da Espanha e montou um cavalo branco para distribuir presentes. 6 de dezembro ainda é o principal dia para distribuir presentes e de folia, em grande parte da Europa. Por exemplo, na Holanda São Nicolau é comemorado no dia 5, na véspera do dia, partilhando doces (jogado na porta), chocolates em formas de letras iniciais, pequenos presentes, e enigmas. Crianças holandesas deixam cenouras e feno em seus sapatos para o cavalo do santo, na esperança de que São Nicolau troque por pequenos presentes. Este simples dia de doação no começo do Advento ajuda a preservar o foco de Natal do Menino Jesus.

Tradução: Eliana Lara Delfino
Os holandeses chamavam ‘Papai Noel’ de ‘Sinter Klaas’, levando essa tradição aos Estados Unidos onde se tornou ‘Santa Claus’.
About these ads

2 responses

  1. edson

    A HISTÓRIA ACIMA ESTÁ EQUIVOCADA! BASEIA-SE EM INFORMAÇÕES CATÓLICAS! PROCURE SABER DIREITINHO DA VERDADEIRA HISTÓRIA DE NICOLAU. NA PRÓPRIA INTERNET VOCÊ ENCONTRARÁ ESTAS INFORMAÇÕES!

    December 26, 2012 at 2:10 am

    • Eu sempre pesquiso antes de postar. Obrigada pela sugestão.

      December 28, 2012 at 4:03 pm

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

Follow

Get every new post delivered to your Inbox.

Join 242 other followers