"I watch the time pass slowly. It comes and goes like the waves. The sea can touch the sky at night. It's got the freedom I crave."

As Três Espadas

This slideshow requires JavaScript.

Essas três espadas de bronze enormes formam o monumento da batalha de Hafrsfjord no ano 872, quando Harald Hårfagre (Harald Fairheaded) uniu Noruega em um único reino. O monumento foi criado no sul de Stavanger por Fritz Røed (1928-2002) de Bryne. Foi revelado pelo rei Olav da Noruega em 1983. As espadas, que são cerca de 10 metros de altura, significam paz e unificação. Uma espada é maior que as outras, a qual é a espada de Harald Fairheaded. As espadas são fixadas em rocha sólida – representando paz. Elas podem ser encontradas em Møllebukta, uma enseada na costa sul de Hafrsfjord. O nome “Møllebukta” deriva de “Mølla” (moinho) e “bukt” (baía). Antigamente havia um moinho de milho ali. Hoje, o lugar é uma das áreas de lazer mais populares de Stavangers.

A batalha de Hafrsfjord

A única fonte contemporânea para este ocorrido é escrito por um leigo chamado Thorbjörn Hornklofi (norueguês moderno: Torbjørn Hornklove) logo após o rei Harald “Fairhair” vencer seus inimigos. O leigo é muito claro, dramático e ilustrativo (A primeira parte é traduzida em Inglês):

Você ouviu em Hafrsfjord
o quanto eles lutaram
o alto rei nascido
contra Kjotve “O Rico”
Navios vieram do leste
almejando batalha,
com suas cabeças abertas
e proas esculpidas.

A fonte mais conhecida da batalha é a saga de Harald Fairhair em Heimskringla escrito por Snorri Sturluson mais de 300 anos depois da batalha ter ocorrido. Snorri dá uma descrição vívida e detalhada da batalha (embora os historiadores continuam a debater a precisão histórica da obra de Snorri): A notícia veio do sul da terra que o povo de Hordaland e Rogaland, Agder e Thelemark, estavam se reunindo, e troxeram com eles navios e armas, e um grande grupo de homens. Os líderes foram Eirik, rei de Hordaland; Sulke, rei de Rogaland, e seu irmão Earl Sote; Kjotve “O Rico”, rei de Agder, e seu filho Thor Haklang; e de Thelemark, dois irmãos, Hroald Hryg e “Had the Hard”. Nesse momento, quando Harald teve tais notícias disso, reuniu suas forças, mandou seus arcos para a água, pôs-se pronto junto de seus homens, e partiu em direção ao sul ao longo da costa, reunindo muitas pessoas de cada distrito. O Rei Eirik soube disso quando veio do sul de Stad, e tendo reunido todos os homens que ele pôde conseguir, prosseguiu ao sul para buscar forças com que ele sabia que estava por vir, com ajuda vinda do leste. Todos se reuniram no norte de Jadar, e entraram em Hafersfjord, onde o rei Harald estava esperando com as suas tropas. Uma grande batalha começou, muito árdua e longa, mas o rei Harald ganhou o dia. Lá o Rei Eirik caiu em derrota, e o rei Sulke, com seu irmão Earl Sote. Thor Haklang, que era um gigante furioso, tinha colocado o seu navio contra o rei Harald, e foi acima de tudo uma medida de ataque desesperada, até que Thor Haklang foi derrotado, e todo o seu navio foi rendido. Então o rei Kjotve fugiu para uma pequena ilha fora das terras, um lugar para se refugiar. Depois disso todos os seus homens fugiram, alguns em seus navios, alguns por terra, e estes fugiram para o sul do país de Jadar.

Heimskringla – A Crônica dos Reis de Noruega  
Capítulo III – Saga / Parte 19 de Harald Harfager – Batalha em Hafersfjord

Assim diz Hornklofe, a saber:. –
“A notícia chegou até você? – você já ouviu
Da grande luta em Hafersfjord,
Entre o nosso nobre e corajoso rei Harald
E o rei Kjotve rico em ouro?
O inimigo de guerra apareceu do Oriente,
Forte para a batalha como para um banquete.
A galante visão que se via
A extensão de sua frota sobre o mar azul-escuro:
Cada navio de guerra, com sua garganta ameaçadora
Do dragão feroz, faminto, bárbaro
Impiedoso e escancarado na proa, suas laterais
Brilhando com escudos polidos, enfileirados
Sua tripulação de homens de lei de guerra,
Cujos alvos brancos como a neve brilhavam de longe
E muitos arqueiros robustos enviados
Ao redor dos países do Ocidente,
Ingleses e escoceses, um convidado estrangeiro,
E homens de espadas da distante costa francêsa.
E, assim os navios do inimigo se aproximavam,
O barulho horrível que se podia ouvir
Selvagens furiosos rugindo com raiva,

E heróis ferozes revestidos em peles de lobo,
Uivando como lobos, retinindo e sacudindo
De muitos homens com roupas de guerra.
Assim, o inimigo veio, mas nosso bravo rei
Ensinou-os a voltar tão rápido novamente.
Pois, quando ele viu a sua força vir,
Lançou da costa seus navios de guerra.
No fundo do mar, ele lançou sua frota
E corajosamente remou de encontro com o inimigo.
Violento foi o choque, e alto o barulho
Dos escudos, até o hostil Haklang,
Afamados furiosos do inimigo, caíram.
Então de nossos homens irrompeu o grito
Da vitória, e do Rei de Ouro
Não podendo suportar nosso corajoso Harald,
Fugiram antes de suas lâminas afiadas
Para o abrigo das rochas da ilha.
Todos na parte inferior dos navios
Os leigos feridos, em pilhas horríveis;
Fizeram-se voltados para baixo e se deitaram
Sob a linha de assentos arrumadas;
E muito um escudo de guerreiro, eu cri
Podia nas costas do guerreiro ser visto,
Para protegê-los enquanto eles fugiam rapidamente
Da forte tempestade que caía.
A montanha de gente, como já ouvi dizer,
Nunca parou enquanto eles corriam do combate,
Até que eles cruzaram o mar Jadar,
E chegaram em suas casas – tão sagaz cada alma
Para afogarem seu medo na taça de hidromel.”

Fontes:

http://www.stavanger-web.com/touristinfo/swords_in_rock.htm

http://en.wikipedia.org/wiki/Battle_of_Hafrsfjord

http://www.wisdomlib.org/norse/book/heimskringla/d/doc5033.html

Tradução:

Eliana Lara Delfino

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s