"I watch the time pass slowly. It comes and goes like the waves. The sea can touch the sky at night. It's got the freedom I crave."

Música

Não Desista

Este poema (de autor desconhecido) pertence a Tom Keifer o qual ganhou de sua mãe quando ainda tinha nove anos. Encontrei este mesmo poema na internet com algumas frases a mais, mas eu traduzí o da foto portanto não acrescentei o que falta, para não alterar o mesmo, até porque não descaracteriza o poema.

poem

Não Desista

Quando as coisas derem errado, e as vezes darão,
Quando a estrada que se está marchando parecer subir a montanha,
Quando os fundos estiverem baixos e as dívidas altas,
E você querer sorrir, mas só acena,
Quando a inquietação te pressionar um pouco…
Descanse se precisar, mas não desista.

A vida é estranha com seus altos e baixos,
Conforme cada um de nós às vezes aprendemos,
E em muitos uma pessoa se transforma
Quando deveria ter triunfado tivera que suportar.
Não desista embora a marcha pareça lenta…
Você deve prosperar com outra luta.

Muitas vezes o lutador desiste
Quando deveria conquistar a taça d vitória;
E aprende muito tarde, quando a noite cai,
O quanto estava perto da coroa de ouro.

Sucesso é o oposto do fracasso…
Então continue lutando quando estiver mais ferido,…
É quando as coisas parecerem piores que você não deve desistir.

Tradução: Eliana Lara Delfino

Fonte: https://www.facebook.com/TomKeiferOfficial

crossdetailsframe1-png

Tom Keifer é músico, compositor e vocalista da banda Cinderella. Veja postagem antiga de um artigo de Jake Brown, presidente da Versailles Records numa biografia do músico:

https://elianalara.wordpress.com/2010/02/21/biografia-de-tom-keifer-cinderella/

TWLGfolder

Atualmente Tom está em turnê própria com seu álbum solo The Way Life Goes.

Advertisements

Pensamentos e Palavras

“Nosso mais profundo medo não é o que estamos inadequados. Nosso mais profundo medo é que somos fortes além da medida. Isso é nossa luz, não nossa escuridão, que nos aflige muito. Nós nos perguntamos, ‘Quem sou eu pra ser brilhante esplêndido, talentoso e famoso?’ Na verdade, quem você não deve ser? Você é uma criança de Deus. Sua pequena prece não serve o mundo. Não é nada culto em retrair-se assim as pessoas não se sentirão inseguras a sua volta. Nós nascemos para fazer manifesto com a glória de Deus que está dentro de nós. Não está em apenas alguns de nós; está em todos nós. E quando deixamos nossa própria luz brilhar, inconscientemente damos à outras pessoas permissão pra fazer o mesmo. Assim como somos libertados do próprio medo, nossa presença automaticamente libertará outros.”

Marianne Williamson

“Deus, quem previu sua tribulação, tem armado você especialmente pra isso, não sem dor, mas sem mancha.”

C.S. Lewis

“Pessoas são como vidros coloridos (como vitrais) nas janelas. Eles cintilam e brilham quando o sol está lá fora, mas quando está escuro, sua verdadeira beleza só é revelada se há luz por dentro.”

Elizabeth Kubler-Ross

“Confiança não vem sempre do que está certo, mas do que não teme estar errado.”

Peter T. Mcintyre

“Coragem é a descoberta de que você não deve vencer, e tentar quando sabe que pode perder.”

Tom Krause

“Não ouça ninguém que te diga que não pode fazer isso ou aquilo. Não tem nenhum sentido. Faça sua cabeça, você nunca usará muletas ou uma bengala, então tenha a sua vez pra tudo. Vá à escola, participe de todas as atividades que puder. Vá a qualquer lugar que queira. Mas nunca, nunca os deixe persuadi-lo que as coisas são muito difíceis ou impossíveis.”

Douglas Bader

“Sempre parecerá impossível até que seja feito.”

Nelson Mandela

“Nossos sensos não nos enganam: nossos julgamentos é que o fazem.”

Johann Wolfgang Von Goethe

“Você não perceberá a distância que caminhou até olhar a sua volta e perceber o quanto tem se distanciado.”

autor desconhecido

“Se você vê um amigo sem sorriso: dê a ele um dos seus.”

autor desconhecido

“Quem possui arte e ciência tem religião: quem não as possui, precisa de religião.”

Johann Wolfgang Von Goethe

“Para ser livre não é meramente se libertar das correntes, mas viver de um jeito que respeite e cresça a liberdade dos outros.”

Nelson Mandela

“Lisonjeie-me, e não acreditarei em você. Critique-me, e não gostarei de você. Ignore-me e não te perdoarei. Encorage-me e nunca te esquecerei. Ame-me e serei forçado a te amar.”

William Arthur Ward

“A estrada da vida vai e volta e nenhuma das duas direções é sempre a mesma. Todavia nossas lições vêm da jornada e não do destino.”

Don Williams Jr.

“Sucesso não é o final, fracasso não é fatal: a coragem pra continuar é que conta.”

Winston Churchill

“Ele vive a poesia que não pode escrever. Os outros escrevem a poesia que não ousam perceber.”

Oscar Wilde

“Confiança é o mais importante e simples fator no jogo, e não importa o talento natural que tenha, só há um único jeito de obter e sustentar isso: trabalhando.”

Jack Nicklaus

“Não sou professor: apenas um companheiro de viagem a quem você perguntou o caminho. Apontei a mim mesmo, bem como você.”

George Bernard Shaw

“Não temos que visitar a casa de loucos para encontrarmos mentes desordenadas; nosso planeta é a instituição mental do universo.”

Johann Wolfgang Von Goethe

“Ninguém pode desistir, isso é a coisa mais fácil do mundo. Mas se segurar quando alguém deveria saber se você está distante. Essa á a verdadeira força.”

autor desconhecido

 


O Coelhinho Schnuffel

Schnuffel é um coelhinho animado criado na Alemanha no final de 2007 por Jamba (empresa de mídia alemã) para a comercialização de um de seus ringtones, e ele já tem seis álbuns lançados.

Seu site oficial: http://www.schnuffelwelt.de/

Posto aqui dois vídeos desse simpático coelhinho com as letras traduzidas!

I Love You So – Te Amo Tanto
Você é meu mais doce amor,
Que amor…
Sempre quero abraçar,
Porque te amo muito,
O mundo tem que saber disso.
Farei qualquer coisa por você,
Não há nada que eu não possa fazer.
Aconchege-se, acaricie e então me abraçe,
Com você sempre quero estar.
La la la la…
Meu amor é profundo e verdadeiro
Eu estaria perdido se não com você
Pois sozinho teria ficado
Se não fosse por você e por mim
Farei qualquer coisa por você,…La la la la
Nossos sentimentos são tão fortes
E nossos corações pulsarão como um só
Outro final de estória
É que eu tenho com você
Farei qualquer coisa por você,…La la la la

______________________________________________________

Bunny Party – Festa do coelhinho

E nas praias/margens somos todos coelhinhos pulantes
E com nossos pés estamos tarracados no rítmo
É a festa do coelhinho, coelhinho fofo mecha seus sapatos
E estamos cantando essa doce melodia
Jay jay jay jay jay cantem comigo esta festa do coelhinho
Jay jay jay jay jay nós saltamos com o rítmo
Jay jay jay jay jay cantem comigo esta festa do coelhinho
Jay jay jay jay jay atraque com seus pés
1,2,3,4 clube do coelhinho! (2x)
Nós amamos nossas mãos que celebram cada festa
E agora nossas orelhas estão se movendo com as batidas alegres
É a festa do coelhinho, todo mundo já começou
E todos os coelhinhos cantam essa doce melodia
Em todo lugar todo mundo dança o aconchego
E todo mundo veio de longe
É a festa do coelhinho, venha e esqueça seus problemas
Porque aqui essa noite eu sou seu DJ Aconchego
Jay jay jay DJ Aconchego
Cantem comigo esta festa do coelhinho

http://www.schnuffelwelt.de/videos.html

Tradução: Eliana Lara Delfino (em inglês não é autoria minha)


GLEE

GLEE

De Ryan Murphy, o criador de Nip/Tuck, vem Glee, uma nova comédia para o desejo oprimido que existe em todos nós.

A série segue com um professor otimista, WILL SCHUESTER (Matthew Morrison), cujo – contra todas as desigualdades e uma treinadora de animadoras de torcida – tem intenção de salvar o Clube Glee da escola McKinle da obscuridade, enquanto ajuda um grupo de oprimidos aspirantes a realizar seu potencial de estrelas. É uma ordem alta quando as estrelas mais brilhantes do grupo inclue KURT (Chris Colfer), um soprano ligado na moda; MERCEDES (Amber Riley), convencida de que é uma diva mas com uma voz maravilhosa; ARTIE (Kevin McHale), totalmente fora de moda mas um guitarrista que manda muito bem; e TINA (Jenna Ushkowitz), uma punk rocker que se esconde por trás da gagueja e os cabelos azuis.

Will coloca esperança somente nos dois verdadeiros talentos: RACHEL BERRY (Lea Michele), uma garota que se proclama estrela que está convencida no Myspace, o coro e suas passagens para a fama; e FINN HUDSON (Cory Monteith), um popular jogador do time da escola com aparência de ator de cinema quem deve proteger sua reputação de sua namorada “santinha” e líder de animadoras de torcida, QUINN (Dianna Agron), e seu colega arrogante do time de futebol, PUCK (Mark Salling).

Will está determinado, não importa quanto tempo leve, pra crescer Glee novamente, mas seus únicos aliados são seus companheiros professores e EMMA PILLSBURY (Jayma Mays), que tem fobia de germes. O resto em sua volta pensa que ele é um idiota – desde sua persistente esposa TERRI SCHUESTER (Jessalyn Gilsig) à treinadora das animadoras SUE SYLVESTER (Jane Lynch) de McKinley – mas ele vai provar que estão errados.

Incluindo hits do passado e presente na lista de músicas, GLEE é produzido por Ryan Murphy Television em associação com 20th Century Fox Television (o resto dos créditos podem ser visto no site, clique no título).

Fonte: http://www.fox.com/glee/about/

Tradução: Eliana Lara Delfino


O SOLISTA

O SOLISTA – SINÓPSE

Do diretor nomeado ao Oscar de “Desejo e Reparação”, Joe Writght, e estrelando o vencedor do Oscar Jamie Foxx e Robert Downey Jr., que também concorreu, vem este angustiante e elevado conto de nossa época. É baseado numa incrível história real de uma transformadora odisséia de um jornalista desencantado através das ruas escondidas de Los Angeles, onde ele descobre e constrói uma relação de amizade muito distinta com um homem nessas mesmas ruas, destinando-o à redentiva força da música.

O colunista Steve Lopez (Downey) está no fim. Os négocios no jornal estãoum tumulto, o casamento não vai bem e ele nem se lembra mais porque amava seu trabalho. Então, um dia, enquanto andava pelas sargetas de Los Angeles, ele vê a misteriosa esfarrapada figura Nathaniel Ayers (Foxx), despejando toda sua alma dentro de um violino. À primeira vista, Lopez aprecia Ayers apenas como mais uma idéia em uma cidade entre milhões. Mas assim que ele começa a desenterrar o mistério deste briliante e atormentado músico de rua, que foi um dinâmico prodígio pronto para a fama, agora numa vida machucada vivendo em túnels e entradas, deixando perguntas no ar. Imaginando que ele poderia mudar a vida de Ayers, Lopez embarca em uma missão “quichotica” pra tirá-lo das ruas e levá-lo de volta ao mundo da música. Mas ao tempo em que ele luta pra salvar a vida de Ayers, começa a ver que é Ayers – com sua inesgotável paixão, seu obstinado amor incondicional e seu bravas tentativas de ligações e amor – é quem está mudando profundamente Lopez.

Um filme com James Foxx, Robert Downey Jr., Chaterine Keener, Tom Hollander e LisaGay Hamilton. Dirigido por Joe Wright baseado no livro de Steve Lopez. Produtores: Gary Foster e Russ Krasnoff.

Tradução: Eliana Lara Delfino


U2 – THE UNFORGETTABLE FIRE REMASTERIZADO

“Não é um mero talento, isso é rock ‘n’ roll…” (Kerrang, Outubro 1984)

O quarto álbum do U2, The Unforgettable Fire, foi remasterizado e lançado, agora, pela Mercury Records.

Vejam um vídeo maravilhoso dessa época:

Essa edição especial marca os 25 anos desde o lançamento original do álbum em outubro de 1984. Gravado no Slane Castle, Irlanda, The Unforgettable Fire foi o primeiro álbum produzido por Brian Eno e Danny Lanois, e ficou nas paradas do Top 10 na Reino Unido com ‘Pride (In The Name Of Love)’ e ‘The Unforgettable Fire’.

Formatos especiais de The Unforgettable Fire contêm material de áudio em bonus, incluindo duas faixas nunca ouvidas antes das sessões Slane Castl: ‘Yoshino Blossom’, e ‘Disappearing Act’ (uma faixa que a banda terminou recentemente), e um DVD incluindo vídeos de música, um documentário e uma tiragem ao vivo do Amnesty International Conspiracy of Hope Tour em 1986.

The Unforgettable Fire foi remasterizado do tape de áudio original, com direção de The Edge e o álbum sai em 4 formatos:

1- Limited Edition Box Set: contendo 2 CDs (o álbum remasterizado e o bonus CD de áudio), um DVD com uma tiragem ao vivo, documentário e vídeos, um livro de 56 páginas com notas de The Edge, Brian Eno, Danny Lanois, Bert Van de Kamp e Niall Stokes, e 5 impressões fotográficas

2- Deluxe Edition: contendo 2 CDs, o álbum remasterizado e o bonus CD de áudio com material B-sides e material antigo que nunca havia sido lançado, um livro pequeno de capa dura com 36 páginas com notas de The Edge, Brian Eno, Danny Lanois e Bert Van de Kamp

3- Formato CD: o álbum remasterizado

4- Vinil formato 12″: um livro pequeno de 16 páginas de Brian Eno, Danny Lanois e Bert Van de Kamp

A lista de The Unforgettable Fire segue assim: A Sort of Homecoming, Pride (In The Name Of Love), Wire, The Unforgettable Fire, Promenade, 4th Of July, Bad, Indian Summer Sky, Elvis Presley and America, MLK.

Tradução: Eliana Lara Delfino


Biografia de TOM KEIFER (Cinderella)

Artigo de Jake Brown sobre biografia de Tom Keiker, vocalista do Cinderella!

Cinderella

Álbuns da banda:


1986 NightSongs

1988 LongColdWinter

1990 HeartbreakStation

1994 Still Climbing

Minha tradução fiel como homenagem à esse grande músico, compositor e cantor!

____________________________________________________________

A revista Rolling Stone chama Tom Keifer de ” um determinado, bluesy, (rocker) com arrogância genuína o suficiente para desenhar comparações com Mick Jagger.” Os Rolling Stones celebraram o Delta Blues em suas músicas e som mencionando músicos como Ry Cooder, Leadbelly, Howlin’ Wolf, Muddy Waters, and Willie Dixon entre outros como um derivado de 25 anos anteriores. Tom Keifer e sua banda Cinderella reinjetaram essa influência dentro do conceito Rock n’ Roll quando eles estouraram na cena hard rock em 1986. Onde a maioria dos contemporâneos hard rock/pop metal de Keifer cresceram na terceira geração do Rock n’ Roll (que implica tambem influências do blues), Tom escolheu, ainda jovem, buscar de volta dentro do âmago do som de Delta Blues, que foi dado como primeiro presente de aniversário de uma infância Rock n’ Roll.

Rapidamente cravando um nicho como um renascentista cantor/compositor de blues-rock com seu primeiro trabalho com Cinderella, Night Songs, que despejou os hits ‘Nobody’s Fool’, ‘Shake Me’, e ‘Somebody Save Me’, Tom Keifer e companhia começaram uma jornada em um caminho rápido de sucessos que poderia  ser notável e disciplinado ambos em termos de foco musical de Keifer e as influências da banda por décadas de som.

Talvez esse foco seja parte do que fez Cinderella ficar musicalmente no mesmo patamar de gerações diferentes de rock. A sofisticação sentimental das canções de Tom no próximo álbum da banda, o ícone Long Cold Winter levaria o gênero hard rock, pois os fãs conheciam bem o psique boêmio do músico viajante mesmo que isso já vinha antes de um contexto daquela geração. Long Cold Winter lançado em 1988, foi uma verdadeira narração penetrante, viajando entre altos e baixos da vida na estrada vindo dos olhos de alguém como verdadeiros ciganos do rock. Composto por Keifer quase totalmente na estrada durante a turnê Night Songs, todos os hits do álbum, incluindo ‘Don’t What You Got  Till Its Gone’, ‘Gypsy Road’ e ‘Coming Home’ ofereceram aos ouvintes um autêntico vislumbre e apreciação por sofrimento da vida na estrada que não tinha sido tão brilhante capturado em música desde os dias de Bob Serger em ‘Turn The Page’ e Willie Nelson em ‘On The Road Again’.

A revista Rolling Stone declarou ousadamente em uma nota sobre o álbum que “Long Cold Winter é realmente uma partida radical vindo de um rock sem adornos de Night Songs, o primeiro álbum do Cinderella de 1986. Com as variedades que ele oferece, este álbum deixa seu prodecessor na poeira…Isto…Cheio de momentos fortes, e…exibe um admirável desejo de Cinderella de tomar um impacto de alguma coisa diferente…A excelente relação musical, experiência e conhecimento prático mostrado no álbum…fez Cinderella uma força reconhecida.”

O terceiro e talvez mais aperfeiçoado álbum da banda, Heartbreack Station foi imediatamente reconhecido por sua realização em termos de sua autenticidade de suas músicas e som, e como uma verdadeira obra-prima que poderia permanecer entre as gravações mais finas de rock. Heartbreack Station fez de Cinderella membros permanentes do rock de elite, particularmente via o hit comovente de ‘Heartbreack Station’, que importuna uma alma instigante e autêntica semelhança com ‘Love In Vain’ de Robert Johnson em termos da essência da solidão capturada nisso. De acordo com AllMusicGuide.com, com este álbum, Cinderella criou uma ironia, um álbum sexy de hard rock que artísticamente foi seu mais fino momento…Heartbreack Station mostra que Cinderella tem mais puro Rock n’ Roll determinado que a maioria das bandas de metal dos anos 80.”

Enquanto isso a Rolling Stone deu à Tom Keifer talvez seu maior elogio crítico por seu reconhecimento de músico e compositor que ele realmente se tornou, notando que “Heartbreack Station é incrivelmente amável e audacioso: Voçê teria que procurar muito pra encontrar blues puro, esta consistência cativante e rítmica, este variado,…Heartbreack Station poderia provar o mais inevitável hard rock desde Appetite For Destruction.”  Heartbreack Station não foi só uma celebração da realização das composições de Keifer, mas também uma deixa aos integrantes do Cinderella em o que eles têm sido como banda em termos musicalísticos. A Rolling Stone disse também na nota sobre o álbum que aquela repercussão, comentando específicamente que eles se elevaram ao desafio musical do material de Keifer pela autenticidade “temperando suas penetrantes tendências com cordas, saxofones, logrolling bottleneck blues, piano de bordel, pandeiros e o que soa como uma harpa, garotas que dão suporte à Keifer correspondem a Big Brother e Holding Company, passando por pit stops na vizinhança não só de Bad Company, Humble Pie e Led Zeppeling mas também de Allmans, James Brown e até Flying Burrito Brothers.”

Em 1991, as músicas de Tom Keifer e o som de Cinderella capturou o coração de milhões de fãs de rock em todo o mundo (14 milhões pra ser exato em termos de venda), e já alcançou um legado e lugar no Rock n’Roll  talvez como a única, verdadeira e autêntica banda de hard rock blues dos anos 80. Bem seguro do sucesso de Heartbreak Station, uma súbita reviravolta do destino marcou o começo de um trágico período na vida de Tom, profissionalmente e pessoalmente. Foi um suposto começo de uma parada entre uma banda dos Estados Unidos e o Japão na turnê de 91 de Heartbreak Station, em um dia de rotina, quanto estava em seu estúdio em casa pra gravar, ele simplesmente descobriu que não podia cantar. Mais assustador que o silêncio de sua própria voz era que os médicos viram que não podiam dar nenhuma explicação pela perda de sua voz! A única resposta que Keifer conseguiu foi o óbvio, que sua voz tinha desaparecido. Finalmente Tom encontrou um especialista na Filadélfia que explicou que ele teve paralisia de um nervo que controla a corda vocal esquerda. Em soma dessa experiência indesejável se submeteu a sirurgias delicadas para remover um quisto e reparar uma hemorragia, o meio de recuperação de Tom para corrigir a paralisia foi por terapia vocal no qual literalmente Tom teve que aprender a cantar de novo. Treinando muito sua voz e trabalhando junto com terapeuta e especialista, Keifer, depois de 12 anos de batalha, finalmente obteve a vitória da recuperação total que o fez cantar melhor que nunca!

Somando-se a essa batalha de Tom com suas cordas vocais, ele também perdeu sua mãe durante esse período no começo dos anos 90.  Estas tragédias inteiraram as músicas no quarto álbum da banda, Still Climbing, lançado pela Polygram em 1994. Apesar do álbum ter vendido muito bem entre os fãs, faltou suporte da gravadora devido a uma mudança na tendência do rock pop metal para o grunge, negando a oportunidade do verdadeiro alcance que os álbuns anteriores de Cinderella tinham aberto as portas comercialmente e tranquilamente pra Keifer começar a focar em sua carreira solo. Enquanto Tom esteve lutando com suas cordas vocais, o desmembramento da banda em 95 foi uma mudança bem-vinda para o músico pessoalmente. Situando-se novamente em Nashville em 97, Tom gastou seus próximos anos focando exclusivamente naquilo que mais ama, compor. Ele colaborou com músicos country como Andy Griggs, e trabalhou metodicamente em escrever e reescrever material pelo que se tornaria seu primeiro solo, exatamente em 2005. Parte do começo do milenio, Tom se reuniu com seus parceiros do Cinderella num período de verão fez turnês e no ano passado (nota minha: isso foi escrito pelo autor em 2005), começou uma família com a esposa Savanna Snow (também compositora), onde nasceu o primeiro filho do casal em fevereiro de 2004. O último feito de Tom Keifer, um álbum solo ainda sem título de hard rock que trará um círculo cheio de sua evolução como um artista de hard rock com influêcias blues. Antepassados do blues como Son House (um mentor de ambos Muddy Waters e Robert Johnson), uma vez escreveu se ‘Eu não tivesse nenhum blues, não estaria satisfeito.’ Tendo vindo de um círculo cheio pessoal e artísticamente, em virtude de sua nova vida e álbum, Tom Keifer concordaria…

Artigo: Jake Brown, presidente da Versailles Records

Fonte: http://www.tomkeifer.com/frameset.html

Tradução: Eliana Lara Delfino

CINDERELLA ROUBANDO A CENA NO FESTIVAL DA PAZ DE 89 EM MOSCOW!